Polícia

Adolescente de 14 anos confessa que matou Mayckon Booker

Redação Folha SCR

 

 

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais ( DIG) prenderam um adolescente de 14 anos acusado de matar o fotógrafo e professor de dança Anderson Almeida Delfino, de 33 anos, conhecido como Mayckon Booker.

 

O corpo de Anderson foi encontrado com perfurações na manhã de segunda-feira (5), na residência que morava, na avenida Grécia, próximo da UPA da Vila Prado. O menor, que estava com uma dívida de entorpecentes no dia do crime, confessou que matou Anderson e disse que cometeu a ação porque foi aliciado pela vítima. O delegado Gilberto Aquino não acreditou na versão do jovem e caracterizou o crime como latrocínio. 

 

O jovem foi identificado através do circuito de câmeras que mostrou ele chegando na casa do fotógrafo por volta das 23h44 do último domingo. Em um período de 10 minutos, o adolescente entrou, cometeu o crime e saiu da residência. Ele será conduzido à Fundação Casa.

 

O menor confessou ao delegado da DIG Gilberto Aquino que conhecia Anderson há três anos. Após conhecer a vítima, em apresentação de dança em uma escola, começou a frequentar a casa da vítima para fazer book de fotos, tendo em vista que teria recebido uma promessa de ser lançado a modelo.

 

 De acordo com o menor, nos últimos seis meses Anderson vinha fazendo convites para ele visitar o estúdio para fazer mais fotos. Ele chegou ir até a residência outras vezes para assistir filme, mas não chegou a fazer as fotos.

 

 No depoimento o adolescente disse que no dia do crime estava devendo uma quantia de entorpecente para traficante que não quis identificar.

Ele foi até a casa de Anderson munido com uma faca na costa com receio de encontrar credores pelas ruas.

 

 As câmeras registram quando o adolescente chega por volta das 23h44. Ele  chama pela vítima e na sequência entra na residência. 

 

Segundo o adolescente, ele entrou e iniciou uma conversar com a vítima e combinaram de assistir filme de artes maciais (filme de ninja). No depoimento, o jovem disse que a vítima teria aliciado e tentado estuprá-lo e revidou matando.

 

Ao delegado Gilberto Aquino, ele disse que pegou a faca e desferiu na costa de Anderson. A vítima saiu e caminhou em direção ao banheiro e durante o percurso ele desferiu mais  um golpe no peito.

 

Na sequência pegou uma máquina fotográfica profissional e o celular da vítima e fugiu da casa.

 

O delegado Gilberto Aquino não acreditou na versão do jovem.

 

“Não acreditamos na versão dele porque ele estava armado,é um dependente químico, deve drogas para traficantes e devia estar sendo cobrado. Pelo fato de ter amizade com a vítima, talvez foi até a casa do mesmo para pedir dinheiro e a vítima negou e ele partiu para agressão. Ele sabendo que a vítima tinha objeto de valor subtraiu”, disse.

 

“Então configuramos como um ato infracional de latrocínio, não homicídio”, declarou o delegado.

 

O adolescente confessou que vendeu  a máquina por R$ 150 para um terceiro e o celular para um traficante. A faca do crime dispensou em um local que não quis identificar.

 

Trabalhos fotográficos

 

O delegado da Polícia Civil Gilberto Aquino disse que a Polícia recuperou a máquina fotográfica. A pessoa que comprou foi indiciada. Dentro da máquina havia um cartão de memória com registro de eventos de casamento e batizado de crianças. A Polícia pede os clientes do fotógrafo entre entrem em contato para recuperar o material.

 

Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Cirurgia será transmitida em tempo real, via internet, do Centro Cirúrgico da Santa Casa

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

4

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

5

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos