Esporte

Campeões mundiais do Paulistinha de 78 reencontram-se para comemorar 40 anos da conquista

 

Ex-jogadores do Clube Atlético Paulistinha de São Carlos que se sagraram campeões mundiais invictos de futebol infantil em 1978 na Noruega, vão realizar um grande reencontro no próximo fim de semana, quando aquela histórica conquista completa 40 anos.

A celebração incluirá uma missa em ação de graças na igreja São Judas Tadeu no sábado (4) às 19h30 e uma confraternização em almoço festivo com todo o grupo de ex-atletas e seus familiares no domingo (5), na Chácara do Barão na Vila São José.

Estarão reunidos 17 jogadores e o advogado Antonio Mário da Silva (Toninho), um dos responsáveis pela delegação, então liderada pelos dirigentes do Paulistinha já falecidos Marivaldo Carlos Degan e Ary Pinto das Neves, Ivo Bento Garcia, da Secretaria de Esportes e Turismo do Estado, e professor Pedro Prado Filho  (coordenador da excursão) também falecidos.

Hoje profissionais de diversas áreas (há profissionais liberais, servidores públicos e empresários), a maioria residente em São Carlos, os campeões –garotos de 13 a 15 anos na época da conquista – conseguiram reunir o grupo completo e no início deste ano passaram a organizar a comemoração, após uma reportagem publicada em site noticioso  que abordou a  primeira excursão do Paulistinha à Europa e a vitória invicta na Norway Cup de 1978.

BOM DE BOLA, BOM NA ESCOLA - Maurício Antonio Dotta e Silva (Mauricinho), hoje delegado de Polícia, é um dos coordenadores do reencontro festivo, que define como “recordar um doce momento da vida, de uma oportunidade única de ter participado de um grupo esportivo fantástico”. Ele observa que será o momento também de relembrar “pessoas de boa alma, imbuídos de transmitir aos jovens os valores de um convívio social”.

“Havia um lema para quem procurava jogar no Paulistinha: Não bastava você ser um bom jogador, tinha que estudar, ir bem nos estudos. Lá dizia-se: Bom de bola e bom na Escola. Reencontrar amigos de então é celebrar a vida, a amizade”, afirma.

Ao lado de Mauricio e de seu pai Antonio Mário, vão se reunir os ex-atletas que compuseram a equipe vitoriosa: Anderson Celso Digiovani , Carlos Alberto Pedrino (Gordo),Marcio Vicente Rosa de Moraes (Marcinho), Paulo Roberto Bueno (Chinês),Maurício Antonio Dotta e Silva (Mauricinho),Sergio Secundino dos Santos (Serginho Dourado), Carlos Wagner Bragatto (Bragatto), Claudio Tersiguini (Claudio), Mario Alberto Marques, Celso Luiz do Prado (Celsinho), Fernando Camargo Barbosa (Fernandinho),Antonio Donizetti Hercoli (Nicola), Odisnei Caiado Santiago Justino (Santiaguinho),Marcel Andreotti Musetti, Valmir Gurian (Mí)  e Sergio Luiz Vendrasco (Mineiro).

O Clube Atético Paulistinha, fundado em 3 de agosto de 1958, com sede no Recanto Tio Patinhas, dispondo de campos, quadras, piscina, refeitório, alojamento e escola,  consolidou uma estrutura que lhe permitiu despontar no cenário do futebol infantil. Vinte anos depois seria possível sonhar com grandes voos. Em 1978 promotores da Copa Estudantil Internacional, torneio de futebol infantil realizado anualmente em Oslo, na Noruega, pela terceira vez convidaram o Brasil para participar da competição. Assim que o Governo do Estado de São Paulo tomou conhecimento, o professor são-carlense  Pedro Prado Filho, que trabalhava na secretaria estadual de Educação manifestou o interesse em transmitir o convite ao Clube Atlético Paulistinha. A vaga para a “Norway Cup – Worlds Largest Youth Soccer Tournament” estava reservada, bastando o “sim” dos são-carlenses que veio em poucos dias. Na ocasião, o Paulistinha havia levantado o campeonato Adidas realizado em São Paulo.

Foi realizada uma campanha que angariou recursos para pagar as passagens aéreas (as despesas de hospedagem e alimentação ficaram por conta dos promotores do campeonato).

CAMPEÕES INVICTOS - No dia 14 de julho de 1978 a delegação deixou o Brasil rumo a Casablanca em Marrocos e em seguida para a Suíça e Liechtenstein, com jogos preparatórios em Vaduz e Schaan, dali para a Alemanha e Dinamarca e finalmente para a Noruega. A “Norway Cup” se estendeu de 30 de julho até o dia 6 de agosto.

No torneio, o Paulistinha venceu o campeão da Escócia por 1 a 0, o campeão da Dinamarca por 3 a 0, o campeão da Suécia por 1 a 0, o vice-campeão da Dinamarca por 5 a 0 e o campeão da Noruega por 3 a 1. Classificado para a grande final, num jogo duríssimo o Paulistinha encarou o Diamond, dos Estados Unidos, vencendo por 1 a 0. A partida foi documentada pela NRK, TV pública da Noruega,

A delegação dos campeões invictos de 1978 retornou a São Carlos no dia 11 de agosto, desfilou no carro do Corpo de Bombeiros e foi recepcionada pelo prefeito Antonio Massei na Prefeitura, onde os garotos receberam medalhas conferidas pelo município e uma placa de prata dedicada ao clube com mensagem alusiva à conquista.Também a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo cumprimentou os campeões.

A conquista do Paulistinha  se tornou um passaporte para que a agremiação participasse de várias outras competições internacionais. Países de equipes derrotadas pelos garotos de São Carlos na Noruega convidaram o clube para jogar em seus gramados. O título da “Norway Cup” abriu caminho para a conquista de troféus  importantes como a Copa Geovani Calciatori, na Itália, Danna Cup na Dinamarca, Soccer USA Cup Superamerica nos Estados Unidos, "Danna Cup" na Dinamarca, "Dalecarlia Cup" (em sete edições) "Piteä Summergames" e "Storsjöcupen" na Suécia.

Fotos: Maurício Dotta

Contato para mais informações: 9 9992 4300

Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

4

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos

5

Ganhadores do Oscar nas principais categorias