Cidade

Abaixo-assinado com 3,5 mil pede que Calçadão não seja aberto

Abaixo-assinado com 3,5 mil pede que Calçadão não seja aberto

 

Folha SCR

 

Após os vereadores Roselei Françoso e Cidinha do Oncológico protocolarem no Ministério Público na última quarta-feira (6) uma representação contra a abertura do Calçadão para a criação de um Boulevard, grupo de moradores de São Carlos criou um abaixo-assinado online para impedir a obra.  A Prefeitura deve começar a obra no Calçadão, que tem apoio da Associação Comercial de São Carlos (ACISC), do Simcomercio, no dia 15 de junho.

O abaixo-assinado tem intenção de colher a assinatura de 5 mil pessoas e até o fechamento da matéria  tinham 3,5 mil.

As assinaturas coletadas serão utilizadas para a abertura de Ação Civil Pública junto ao Ministério Público Estadual referente às ações de danos morais e patrimoniais causados ao meio ambiente; ao interesse difuso ou coletivo; ao valor turístico e paisagístico; à ordem urbanística; e ao patrimônio público e social que a abertura causará aos cidadãos são-carlenses.

O projeto prevê a criação de um Boulevard na General Osório, um tipo de via de trânsito, com passeios, bancos e jardins. Abertura do Calçadão é vista com otimismo pelos comerciantes do local que prospectam aquecimento nas vendas.

O texto do abaixo-assinado descreve que a ação de reabertura da via pedestre no Calçadão para veículos motorizados vai em total desacordo com a Política Nacional de Mobilidade Urbana, a qual garante a preferência e a segurança do pedestre em relação a outros meios de locomoção, e que também tem como diretrizes a “prioridade dos modos de transporte não motorizados sobre os motorizados”; e a “mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de pessoas e cargas na cidade”. 

O movimento cita no documento que a abertura da Cia prejudicará o fluxo de pedestres e prejudica a dinâmica do comércio, levando à descaracterização do trecho.

“Urbanisticamente, é preocupante a situação de abertura da via para carros e fechamento para pedestres, haverá uma perda significativa na dinâmica de fluxos de pedestres pela região ao mesmo tempo em que contribui para o uso prolongado de carros no Centro, região já saturada de veículos e propensa à congestionamentos. A qualidade paisagística do calçadão é perdida como local de encontro e descanso, tira a dinâmica do comércio informal ali presente, além da perda da particularidade atribuída pela caminhabilidade exclusiva da via, em outras palavras, perde-se a característica única do trecho da Rua General Osório”.

O texto sublinha que “ambientalmente, é também uma decisão infeliz, tanto por se tratar de uma área sujeita à constantes enchentes no período de chuvas, como também, o já mencionado aumento de veículos, causando maior emissão de gases de efeito estufa, queda na qualidade do ar e poluição sonora”.

Assim como o vereador Roselei e a vereadora Cidinha, o movimento argumentou que a obra não tem apoio da maioria da população e despreza o patrimônio histórico e cultural da cidade.

 

Link do abaixo-assinado: https://www.change.org/p/secretaria-de-transportes-preserva%C3%A7%C3%A3o-do-cal%C3%A7ad%C3%A3o-de-s%C3%A3o-carlos?recruiter=44238336&utm_source=share_petition&utm_medium=facebook&utm_campaign=psf_combo_share_initial&utm_term=psf_combo_share_initial

 

Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Cirurgia será transmitida em tempo real, via internet, do Centro Cirúrgico da Santa Casa

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

4

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

5

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos