Cidade

Servidores e Secretária realizam primeira reunião para discussão do Acordo Coletivo

 

Servidores e Secretária realizam primeira reunião para discussão do Acordo Coletivo

Cláusulas referentes ao reajuste salarial e tíquete refeição, não foram discutidas, devido ao fato do índice IPCA de fevereiro de 2018 não ter sido divulgado

Foi realizada na tarde desta terça-feira (06) a primeira reunião para tratar do Acordo Coletivo 2018/2019 do funcionalismo público municipal. Participaram do encontro à secretária de Administração e Gestão Pessoal, Helena Antunes, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos Municipais de São Carlos (SINDSPAM), Adail Alves de Toledo, os diretores do sindicato, Lucinei Custódio, Gilberto Rodrigues Antunes, Cleide Gonçalves de Jesus, Reinaldo Sola Rodrigues e Aparecida de Souza Cherubino, o assessor do sindicato Roberto Menezes e os integrantes da Comissão de Servidores formada por Alessandro Simões dos Santos (SAAE), Daiane Rosa (Educação) e Élcio Soares da Silva (Infância e Juventude).

Neste primeiro encontro as cláusulas referentes ao reajuste salarial e do tíquete refeição, não foram discutidas, devido ao fato do índice IPCA de fevereiro de 2018 não ter sido divulgado. O reajuste da categoria é calculado pelo índice compreendido entre os meses de março de 2017 a fevereiro de 2018. Estas duas cláusulas deverão ser discutidas na segunda reunião agendada para a próxima segunda-feira (12). A categoria decidiu em assembleia realizada no último dia 20 de fevereiro pedir reajuste salarial de 4% de aumento real mais o índice do IPCA do IBGE. Em relação ao ticket refeição, elevação do valor para R$ 380,00 e unificação da participação do servidor (contrapartida) de 10%.

As demais cláusulas da pauta de reivindicações que foi aprovada na assembleia foram todas analisadas pelos participantes desta primeira reunião. Algumas delas já foram aceitas pela Administração como a atualização do valor no auxílio funeral, fornecimento da cesta básica e concessão das férias, que continuará sendo feita como sempre foi, isto é, a Prefeitura Municipal não irá adotar as medidas que foram aprovadas pela Reforma Trabalhista.

Outras cláusulas mais complexas como Evolução Funcional dos servidores e Progressão Funcional da Educação, Helena se prontificou em encaminhar alterações do Projeto de Lei 16000 e 16001 visando à formação de um comitê eleitoral para a formação das comissões.

Na questão de terceirização de serviços dentro da Administração, também houve avanços e uma proposta será melhor trabalhada para ser levada em discussão na próxima reunião.

Para o presidente do sindicato, este primeiro encontro foi positivo já que garantiu à manutenção de alguns direitos adquiridos, mas destacou que a principal luta neste acordo é conquistar um aumento real nos salários dos servidores. “Nossa proposta foi feita com responsabilidade, as últimas negociações nós não tivemos aumento real, a Administração sempre citava a questão do limite prudencial. Este ano o índice do limite prudencial ficou em 49,64%, o índice que estamos pedindo, pelos cálculos feitos pelos técnicos do sindicato, não chega ao limite prudencial (51,3 %). No ano passado os servidores entenderam a situação que a Prefeitura estava passando e aceitaram apenas o IPCA, agora esse ano com o bom trabalho que a Administração fez, conseguindo reduzir o índice para os 49,64%, vejo a oportunidade dos trabalhadores ganharem um aumento real”, explicou o presidente do sindicato. Adail Alves de Toledo.



Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos

4

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

5

Ganhadores do Oscar nas principais categorias