Saúde

SÃO CARLOS: vacinação contra febre amarela tem que ser agendada

Vacinação contra febre amarela tem que ser agendada

 

A partir desta segunda-feira (29), quem precisa tomar a vacina contra a febre amarela terá que fazer o agendamento na unidade de saúde mais próxima da residência. Desde 2008, São Carlos é área com recomendação permanente da vacina contra a febre amarela. Todas as pessoas que moram no município devem receber uma dose da vacina durante a vida.

 

As pessoas que ainda não receberam nenhuma dose da vacina ao longo da vida ou que perderam a carteira de vacinação devem procurar a unidade de vacina mais próxima da sua casa para agendar uma data para receber uma dose da vacina. “Crianças de 9 meses e as pessoas que vão viajar e precisam do certificado internacional de vacinação tem prioridade na vacinação. As outras pessoas precisam fazer o agendamento. Pacientes com imunidade baixa (portadores de HIV, por exemplo), transplantados ou pacientes submetidos à quimioterapia ou radioterapia devem ter orientação médica. Para gestantes, mulheres que estão amamentando e crianças com menos de 6 meses a vacina não é indicada. Para pessoas com mais de 60 anos a vacina é indicada desde que o idoso esteja bem de saúde”, afirmou Kátia Spiller, chefe da Vigilância Epidemiológica.

 

Para quem vai visitar alguma área com recomendação da vacina, a dose da vacina deve ser aplicada com, pelo menos, 10 dias de antecedência à viagem, tempo necessário para o organismo produzir os anticorpos contra a doença. “Vale lembrar que desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema da dose única, recomendado desde 2014 pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Estudos comprovaram que uma dose é suficiente para proteger durante toda a vida. Quem recebeu uma dose ao longo da vida está imunizado”, explicou Katia.

 

Mutirão Dengue – No sábado (27), a Vigilância Epidemiológica de São Carlos realizou, em parceria com a EPTV, o Mutirão de Combate ao Aedes aegypti. Durante toda a manhã, cerca de 30 pessoas, entre agentes de endemias e voluntários, orientaram a população que passou pelo centro e Vila Prado sobre os principais cuidados no combate ao mosquito. “Essas ações são importantes para alertar a população sobre o risco de ter criadouros em casa. Nós orientamos as pessoas a eliminarem qualquer recipiente que tem água parada, dentro e fora de casa, e assim evitar a proliferação do Aedes. É simples, dez minutos são suficientes. É preciso eleger um dia da semana para fazer a vistoria e eliminar os criadouros. Essa ação quebra o ciclo de reprodução do mosquito, que dura em torno de 12 dias”, contou Denise Scatollini, coordenadora da equipe de combate a endemias.

São Carlos não tem nenhum caso confirmado de dengue em 2018. No ano passado, foram registrados 45 casos, 34 autóctones e 11 importados.

 

Galeria

Comentários

Publicidades

Mais Vistas

1

Bolsonaro amanhece com batom, maquiagem, brincos e colares em outdoor em São Carlos

2

Liquidação Fantástica levará milhões de pessoas ao Magazine Luiza nesta sexta-feira

3

Novo Golf produzido no México começa a chegar às concessionárias Volkswagen no Brasil

4

Advogado é o primeiro deficiente visual a receber carteira da OAB em São Carlos

5

Ganhadores do Oscar nas principais categorias